NIDUS

home    message    Shed    archive    theme
©
“É necessário sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós.” José Saramago

19&*Shinning*

“A conquista da liberdade é algo que faz tanta poeira, que por medo da bagunça, preferimos, normalmente, optar pela arrumação.” Carlos Drummond de Andrade

"The inspiration you seek is already within you. Be silent and listen." Rumi

Um baile nua lua, na lua, numa qualquer, suponho que não exista só a nossa, “nossa” atreve-se o Homem a dizer como se fosse ela feita por ele, ou como se este a tivesse comprado ao criador, por euros, cruzeiros, cabelos, pelos, pele, mentes, espíritos, pela terra e pelo mar que nada vale que no fundo nada é no imenso desta existência que alguns sabem, ou pensam saber entender e é isto o tudo o que nos resta e que havemos algum dia de conhecer. Na lua novamente, nessa lua, algures neste caos organizado, bailam diferenças entre equilíbrios que se aproximam e gravitam por meio dessa sua força natural libertando-se na inércia sem pensar. Pensar para que? Pensar foi um verbo que o Homem inventou e que nada mais utiliza, inútil e ilimitado mais uma vez e sempre. Mas bailem lá, lá bailam como se o Homem não existisse e na verdade para esses não existe de verdade, tal como estou eu para aqui a falar sem fundos sobre os defuntos que um dia cá estiveram e que nem conheci. Fé essa, triste e humana, com ou sem ela, lá bailam, bailam simplesmente.  

  José Saramago in Memorial do Convento (via thisisholywars)